Review: Before the Flood.

14:02 luvdoctorwho 0 Comments


Pela 4° semana, Doctor Who segue surpreendendo com roteiros extremamente inteligentes e aproveitando o que de melhor os seus atores principais tem para oferecer.

Before the Flood começou com uma das sequências pré título mais legais já vistas na série desde, bom, ano passado em Listen. Vocês devem se lembrar da abertura de Listen, até por que foi uma das poucas coisas fáceis de elogiar na péssima 8° temporada de Doctor Who. 

A quebra da quarta parede foi a coisa mais comentada e eu mesma dei uma surtada enquanto assistia o episódio, por que o 12th Doctor estava ali falando diretamente comigo. Para os leigos, a quebra da quarta parede nada mais é que o ato do personagem reconhecer a presença da platéia, dirigir sua atenção a quem está assistindo, nesse caso, o 12th Doctor falando diretamente com você reconhecendo a sua existência.

Não foi a primeira vez que vimos um Doctor fazer isso, mas certamente foi a mais longa e a melhor, e com toda certeza a mais bizarra de todas. Toda a sequência pré-título foi usada para nós explicar de uma forma bem pessoal o que é o Paradoxo Bootstrap. Se você parou para Googgar como o Doctor pediu, ou você entendeu menos ainda qual era a desse paradoxo, ou como eu você já sabia só não dava nome a coisa. Resumidamente, e de uma forma fácil de entender, esse paradoxo acontece quando um objeto ou informação só existiria ou seria criado se esse mesmo objeto fosse mandado de volta no tempo para então ser criado; O que significa que esse objeto ou informação viveria em um looping temporal sem origem definida. Deu pra entender ? É bem simples e importante para esse episódio.

O episódio nos leva diretamente onde parou em Under the Lake só que dessa vez em 1980, com o Doctor, Bennet e O'Donnell (que deveria ter sido protegida) em um campo de treinamento da Guerra Fria. Bom, eles chegam ao fundo do mistério do episódio e o Doctor acaba tendo que se encontrar cara a cara com o Fisher King. Nós não vamos comentar toda o drama da Clara achando que o Doctor estava morto, por que não tinha a menor necessidade né? Foi mais um gancho onde você sabia que aquilo mais que definitivamente não iria acontecer, você só precisava saber o que era aquilo, certo? E quase que instantaneamente nos lembramos do holograma da Clara na primeira parte e as coisas fazem sentido.

Se você não entendeu foi isso o que aconteceu: Vimos o Doctor voltar no tempo para criar eventos, ou criar O evento que fez ele voltar no tempo da primeira vez. E assim foi inserido na série o Paradoxo Bootstrap, inteligente né? Ele usou a célula da energia para explodir a barragem e assim eliminar o Fisher King, depois usou um protocolo de segurança da Tardis para mandar o Bennet de volta no tempo em 2019 e ele se coloca dentro da câmara vedada onde ele se junta ao resto da equipe no tempo certo. MUITO INTELIGENTE.

Vamos falar da Clara em particular?
Eu to meio preocupada com a dona Oswald. Não é segredo que eu não tenho apego nenhum pela personagem, mas mesmo assim eu ainda tenho coração. A coisa é, ela está indo em uma direção (é o que parece né) como se o final dela fosse ser, como eu posso colocar isso...definitivo. Ela ta se arriscando demais, e eu to com medo. Uma das quotes do episódio da semana que vem é "Oh clara, o que eu fiz de você." GENTE VAI VIR COISA PESADA DEMAIS EU TO SENTINDO.

Vamos terminar com isso então. Before the Flood foi um episódio Wibbly Wobbly e eu sinceramente adoro quando Doctor Who me faz pensar, me faz parar e assistir de novo e de novo e etc. Eu não gosto de quando as cosias são facilmente explicadas, ou quando a coisa é tão bobinha que acaba sendo um "In the forest of the night" tenho até pesadelos com esse episódio em particular.

Pessoalmente eu gostei bem mais desses dois episódios do que os dois primeiros da abertura (o que não significa que eu não gostei dos dois primeiros, por que foram ótimos também.) Mas esse episódio mostrou uma maturidade tão grande, foi tão Doctor Who.

Considerações:

- É MAIOR POR DENTRO, É MAIOR POR DENTRO COMO PODE SER MAIOR POR DENTRO? RIP O'Donnell.
- A cena da Cass sendo perseguida e o machado arrastando no chão e corta a música e coloca a música eu passei até mal sério.
- Cass and Lunn sitting in a three K I S S I N G. Shippo muito.
- Cadê o Deus de Jenna Coleman que ta gritando pra quem quiser ouvir que a Clara totalmente superou o Danny? Na cena da Clara consolando o Bennet ficou claro como a luz do dia que ela ainda pensa nele.
- A abertura por mim poderia ficar assim pra sempre.
- 'Até que enfim alguém que vale a pena conversar."
- Os episódios duplos estão funcionando tão bem para o desenvolvimento dos personagens secundários, tornando eles importantes e memoráveis para a história.
- Eu não sei se aguento mais momentos aleatórios do óculos sônico sendo enfiado em qualquer lugar, ta feio, ta na hora de parar.
- Foi o próprio Peter Capaldi que tocou o tema de abertura na Guitarra Elétrica eu amo muito ele.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

O seu comentário faz diferença!