Review - HIDE

10:35 luvdoctorwho 0 Comments

Como esperado, Neil Cross nos presenteou com um grande episódio, que tem chances de ser um dos melhores da temporada. 

“Hide” não é apenas uma história sobre fantasmas, mas é também uma história sobre descobertas, sobre resolver diferenças e sobre reencontrar um amor perdido.

Estou falando com o espirito que habita esta casa... Você está aí? Pode me ouvir?”

A história se passa em 1974, quando o Professor Palmer e Emma Grayling investiga o misterioso caso de um fantasma que assombra a mansão por gerações. Clara e Doctor chegam para ajuda-los se identificando comicamente como “Os Caça Fantasmas" ('GhostBusters' ba dun tss).

 Temos um bom easter-egg quando o Doctor refere-se a Emma como a “Companion” do professor, e ela o corrige, dizendo ser sua assistente, referência a Classic Who, quando as companions eram chamadas de Assistentes.

“É 1974, você é uma assistente e “Equipamento não objetivo””.

Anunciada a “Hora do Fantasma”, Doctor e Clara, e os dois novos amigos começam a investigar a mansão, afim de desvendar os mistérios que a cercam. Emma explica que tem a vantagem de ter um pequeno poder psíquico, o que a liga fortemente com os eventos. Eles contam ao Doctor e Clara a lenda do “Fantasma de Caliburn”, vista desde o século XVII. 

Clara percebe que a fantasma sempre aparece na mesma posição nas fotos, um detalhe que intriga a todos. Então, Doctor e Clara começam a investigar a casa a procura de seus segredos escondidos. Passando por lugares sombrios e cheios de estranhezas, eles ouvem ruídos, sentem ambientes ficarem mais frios que outros, e alguma coisa até mesmo segura a mão da Clara. Todo tempo vemos alguma criatura misteriosa acompanhar os dois.

Buscando mais fontes de pesquisa o Doctor decide viajar com a Tardis naquele mesmo lugar, em diferentes pontos do tempo, e tentar ver se a aparição persiste em diferentes pontos. Chegamos a mais um momento da relação entre tapas e beijos (ou só tapas) da Clara com a Tardis.

“Tenho essa sensação de que ela fica me encarando”.
“Ela não gosta de mim!”

“A Tardis é como um gato, demora um pouco pra confiar, mas você acaba chegando lá!”

Seguindo a viagem no tempo, eles passam do nascimento à morte do planeta terra. Pela primeira vez uma companion levanta uma importante questão: O Doctor viaja através do tempo e espaço, então tudo para ele é como se ainda não tivesse acontecido, ou como se já estivesse esquecido há muito tempo. Pela primeira vez uma companion tem a consciência de que terá de partir um dia.

“Para você eu sou um fantasma. Somos todos fantasmas para você. Devemos ser nada.”

Mas o Doctor garante que esse não é seu jeito de ver as coisas:

“Vocês são o único mistério que vale a pena desvendar.”

Na volta de sua pequena viagem, o Doctor acaba descobrindo que o fantasma na verdade, é alguém presa em um universo compacto, um eco distorcido do nosso universo. E nesse lugar, no futuro, o tempo está passando mais devagar, como se um minuto para a pessoa presa fosse como mil anos ao nosso próprio universo.

Usando alguma energia da Tardis, Emma usa seu poder psíquico para abrir um portal até este universo, afim de salvar a mulher que lá se encontra perdida e desesperada, na fuga de um monstro desconhecido. O Doctor passa por esse portal até o universo compacto, ajuda  a resgatar a mulher, mas acaba ficando preso lá quando o elo psíquico de Emma é interrompido. Clara busca a ajuda da Tardis que mais uma vez a impede de entrar - isso não pode ser uma coincidência. - A Tardis informa que poderá morrer se for até o universo compacto mas acaba indo mesmo assim. 

Com a insistência de Clara, a Tardis atende seu pedido, e resgata o Doctor, retornando pelo elo psíquico de Emma, que novamente tinha sido restaurado.
Emma descobre que a mulher que eles acreditavam ser um fantasma é Hila Tacorian, uma descendente de Emma e do Professor Palmer, que finalmente admitiram uma paixão reprimida.

Na hora de ir embora de mais uma aventura, o Doctor confessa a Emma que não estava ali somente pelo mistério da fantasma, mas queria que ela o dissesse quem era Clara de verdade. Emma explica ao Doctor que Clara é apenas uma garota, perfeitamente comum, bonita e inteligente, e mais assustada do que parece. No fim também o Doctor acaba descobrindo que o monstro que perseguia Hila no outro universo, e o monstro da casa que havia segurado a mão de Clara só queriam uma companhia, então leva-os a companhia um do outro.
Com o fim de mais um eletrizante episódio, ainda paira sobre nossas mentes a dúvida sobre qual a ligação de Clara Oswald com  c Clara vitoriana e com Oswin, uma vez que ela aparenta ser apenas uma garota comum.
Até o próximo review, do episódio mais esperado por muito Whovians: “Journey To The Centre Of The TARDIS”

Escrito por: Rafael Henrique.
Postado por: Marcela. 
Comentários
0 Comentários